Olympus Pen: fotografia analógica em meio-quadro!

Saiba mais sobre a câmera analógica Olympus Pen e veja fotos reveladas!

A Olympus Pen é uma câmera analógica compacta e de fácil manuseio que fotografa em meio-quadro, dobrando, assim, o número de fotos no filme. Saiba mais e veja fotos reveladas!

A Olympus Pen faz parte de uma série de câmeras analógicas produzidas pela Olympus entre 1959 e o começo dos anos 80. Uma vez que é uma câmera resistente, bonita e de excelente qualidade, atualmente ainda é possível encontrá-la em bom estado para comprar.

A denominação “meio-quadro” significa que o seu sensor tem metade do tamanho de um quadro normal. Assim, o espaço de uma foto no filme é dividido em dois, dobrando o número de fotos. Por exemplo: um filme de 36 poses resulta em 72 fotos.

Conheça mais sobre a câmera Olympus Pen, uma irmã da Olympus trip 35 que dobra o número de fotos num filme!
Curiosidade: O nome Pen, que na tradução do inglês significa caneta, foi escolhido porque a câmera tinha como objetivo ser “tão portátil quanto uma caneta”!

Foram diversos modelos de Olympus Pen produzidos ao longo dos anos, sendo que os primeiros eram totalmente manuais. Contudo, a série EES foi idealizada para fotógrafos amadores, no formato conhecido como “point and shoot” (mire e dispare), com um modo automático. Então, este post é sobre esses modelos de Olympus Pen.

Funcionamento:

Como é possível notar pela aparência, a Pen é uma “irmã menor” da famosa Olympus Trip 35. Dessa forma, o funcionamento é idêntico! Já que fiz um post bem detalhado sobre a Trip, você pode ver as explicações >CLICANDO AQUI<.

Em resumo: em primeiro lugar, é preciso testar se o modo automático da câmera está funcionando. Para tanto, basta tampar a lente e tentar clicar. Se aparecer uma lingueta vermelha no visor e a câmera não disparar, então significa que está funcionando.

Se desejar ou caso o modo automático não esteja funcionando, é possível controlar a abertura, que varia de f/2.8 a f/22. Após colocar o filme, ajuste o ISO de acordo com ele. Em seguida, gire o foco de acordo com o objeto a ser fotografado, mantendo a distância mínima de 1 m. Para o enquadramento lembre-se do deslocamento do visor em relação a lente e, por isso, mantenha o objeto bem centralizado. Enfim, divirta-se nos cliques!

Olympus Pen EES-2 versus Olympus Trip 35 – Qual escolher?

Comparação entre a Olympus Pen e a Olympus trip 35, saiba qual a ideal para você! Clique para ler.

Já que as câmeras são muito parecidas, pode surgir a dúvida de qual seria a ideal para você. A escolha vai depender de alguns fatores: se você é uma pessoa ansiosa para ver a revelação ou se quer qualidade para imprimir as fotos em tamanho maior, então o ideal seria a Trip 35. Por outro lado, se quer tirar o maior número de fotos possíveis com um mesmo filme e carregar a câmera sempre por aí, a Pen será a escolha certeira!

Assim, na tabela a seguir fiz uma comparação mais completa entre as câmeras, para facilitar. Coloquei as características da EES-2, pois outros modelos mais antigos de Olympus Pen podem ser diferentes. Desse modo, fique atento!


OLYMPUS PEN EES-2OLYMPUS TRIP 35
TamanhoMenor e mais portátilMaior e mais pesada
MaterialMetalMetal
Lente30mm (contudo, equivale a um ângulo normal devido ao meio-quadro)40mm
VisorModo retratoModo paisagem
Possível acoplar um flashSimSim
Possível acoplar um tripéSimSim
Obturador1/40 e 1/200 1/40 e 1/200
Aberturasf/2.8 a f/22f/2.8 a f/22
ISO25 a 40025 a 400
FocoRetrato (1 m), duas pessoas (1,5 m), grupo (3 m) e paisagem (infinito)Retrato (1 m), duas pessoas (1,5 m), grupo (3 m) e paisagem (infinito)
Modo automáticoSimSim
Tamanho do quadro18mm x 24mm24mm x 36mm
Número de fotos (filme de 36 poses)72 fotos36 fotos
Qualidade em ampliaçõesBaixa e com grãosBoa
Digitalização e impressãoUm pouco mais complicadaComum (incluindo minilabs)

Fotos reveladas!

Apesar de, na tabela, eu ter colocado que a revelação da Olympus Pen pode ser um pouco mais complicada, minhas fotos com ela foram reveladas em minilab e, depois, digitalizadas diretamente do negativo e não tive problemas. No entanto, durante a pesquisa que fiz para o post, algumas pessoas disseram que poderiam surgir problemas, como a entrega de duas fotos grudadas.

Lembrando, sempre, que essa é um câmera automática antiga, então não se compara a qualidade das fotos com as câmeras SLR ou digitais.

Então, coloquei um Kodak Ultramax ISO 400 e demorei alguns meses para gastar o filme todo. Por isso, disseram que esse é o tipo de câmera que você coloca o filme para fotografar o batizado da criança e só vai acabar os cliques quando ela já estiver se casando! Hahaha!

Afinal, na revelação saíram 73 imagens! Assim, deixo algumas das minhas favoritas a seguir:

Catedral de Londrina, fotografia analógica feita com a câmera Olympus Pen EES-2 e filme Kodak UltraMax 400.

Por fim, você encontra mais posts sobre câmeras e filmes na Categoria Vida Analógica!

Obrigada pela visita!

Conheça a câmera Olympus Pen, que dobra o número de fotos num filme! Clique para ler.
Guarde essa foto no Pinterest para salvar e acessar o post sempre que desejar!